Há no Estado de São Paulo 39 municípios cuja receita é menor que o custo dos salários dos seus vereadores, segundo o Tribunal de Contas do Estado. Esse tipo de fenômeno atormenta centenas de municípios em todo o País, reforçando a defesa do fim de câmaras municipais. Quase todas custam caro e produzem pouco, além de vexames, corrupção. Há propostas pelo fim de vereadores em cidades inferiores a 2 milhões de habitantes, mas o Congresso não deixa: é assim que os parlamentares obrigam os pagadores de impostos a sustentar seus cabos eleitorais. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os prefeitos em geral são atormentados por vereadores: se atrasarem o repasse de recursos às câmaras, ficam sujeito até a impeachment.

O custo dos vereadores de Aspásia (SP), de 1.800 habitantes, é 202% maior que a arrecadação do município, que não passa dos R$720 mil.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar