sexta-feira, 4 dezembro , 2020

Justiça mineira manda bloquear R$ 16 milhões em bens de Wagner Pires de Sá, Itair Machado e empresário

97
© Fornecido por Areté Editorial S.A. Antes mesmo de ter a matéria veiculada pelo "Fantástico", da TV Globo, o Cruzeiro se pronunciou na palavra do seu presidente- Vinnicius Silva/Cruzeiro

A Justiça mineira acatou um pedido conjunto do Ministério Público de Minas Gerais e da Polícia Civil, determinando o sequestro e bloqueio de bens do ex-presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, do ex-vice-presidente de futebol do clube, Itair Machado, e do empresário Cristiano Richard dos Santos Machado. Na ação, o judiciário vai bloqueado R$ 16.233.183,08 do trio. O dinheiro bloqueado pela Justiça se refere a bens de Itair, Wagner e Cristiano nos seguintes valores:

-Sequestro de um bem imóvel de Itair Machado: valor de até R$ 4.442.166,76;

-Bloqueio de bens de Itair Machado: R$ 1.299.644,25;

-Bloqueio de bens de Wagner Pires de Sá: R$ 6.154.828,07;

-Bloqueio de bens de Cristiano Richard dos Santos Machado: R$ 4.336.544,00

O MPMG divulgou a ação em suas redes sociais e tem o objetivo de garantir futuro ressarcimento de danos ao clube. Ainda na nota publicada pelo órgão, o MPMG diz que “a decisão ressalta que há indícios suficientes de autoria delitiva e de crimes praticados e está realizando diligências complementares antes do oferecimento de denúncia à Justiça”.

A Polícia Civil concluiu um inquérito no dia 10 de agosto, sobre diversos crimes cometidos no clube por ex-dirigentes e empresários. Foram sete pessoas indiciadas no caso: Wagner Pires de Sá, ex-presidente do Cruzeiro, Itair Machado, ex-vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Sérgio Nonato, ex-diretor-geral do Cruzeiro, Cristiano Richard dos Santos Machado, empresário do segmento de EPI, João Sérgio Ramalho, empresário de futebol,Wagner Cruz, empresário de futebol e Carlinhos Cruz, empresário de futebol.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar