Responsabilidade do gestor público municipal e vereadores

177

Estamos caminhando para uma nova eleição municipal! No dia 4 de outubro os eleitores ituramenses vão eleger um novo prefeito e novos vereadores!

A esperança é de que sejam eleitos de fato, NOVOS nomes tanto no Executivo como Legislativo, considerando que os que hoje ocupam essas cadeiras, em vez de pugnarem pelo bom desenvolvimento político administrativo, social e desenvolvimentista, só fizeram mal ao município, em todas as áreas.

O Legislativo, macomunado com o Executivo, (tiro as exceções, se houver), deixou de cumprir seus deveres de vereadores, ao deixarem que o Executivo não cumprisse também seu dever de agir dentro dos princípios e preceitos da administração pública: A garantia e a satisfação das necessidades coletivas.

Temos vivenciado ao longo destes três (3) últimos anos, atos ímprobos e corrupções praticados por eles. O emprego dos recursos públicos, com pequenas exceções, foram mal aplicados ou não foram aplicados, por não haver visualização de obras e de melhorias tão faladas em suas campanhas. O Legislativo deixou de fiscalizar e o Executivo deixou de executar!

A exemplo disso, a má condução veio em prejuízo da saúde, da educação, da segurança, do transporte, da assistência social ocasionando queixas e queixas nada elogiáveis.

É de conhecimento geral, e já assistimos por consequência, vários escândalos por corrupção; má aplicação ou uso (onde?) do dinheiro público; omissão dos pagamentos de rescisões trabalhista; improbidade administrativa, e até o impossível de acreditar, a apropriação indébita de empréstimos consignados, além da investigação em curso pela GAECO, manchando a imagem de nossa cidade.

Houve quem disse no passado que em Iturama o impossível acontece! É fato! Acontece mesmo!

E tudo isso aconteceu com o beneplácito da maioria dos vereadores que nada fiscalizaram; nada investigaram; nada opinaram por com de nada se importarem e só sugaram!

E assim, com esses desmandos praticados pelos dois poderes municipais citados; com o Chefe do Executivo se locupletando dos recursos, (assim se deduz); não dando uma condução correta, fica os munícipes e a comunidade, desprovida e desamparada, sem iniciativa do que fazer – uns por conveniência, outros por conivência e outros por receios) e outros ainda por falta de conhecimento de como proceder, ou ainda por inércia.

Por tudo isso, necessário se faz analisar com profundidade sobre quem escolher para comandar os destinos de nosso município e cidade.

A política é importante para todos nós, mas importante também saber escolher quem é quem para ocupar o cargo de Prefeito e mais ainda de vereadores, no que tange a responsabilidade de gestor e legisladores pela aplicação dos recursos públicos, no caso o prefeito!

Esse Meu Kantinho de hoje, visa os princípios constitucionais que regem a administração pública e em nosso caso a municipal, considerando que todo administrador público deve se ater aos princípios da administração pública, celebrizados no art. 37, caput, da Constituição da República Federativa do Brasil,  promulgada em 05 de outubro de 1988, tendo em vista que estas regras são de “…observância permanente e obrigatória para o bom administrador”.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar