O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) anunciou na tarde desta quarta-feira que 61% dos servidores públicos receberão o 13º salário antes do Natal deste ano, seja integral ou de forma parcelada. Segundo o chefe do Executivo, o restante do funcionalismo receberá o benefício natalino somente após a concretização da operação de venda dos créditos do nióbio, que seriam de direito da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig).

“Conseguiremos pagar o 13º para 61% dos servidores antes do Natal, seja integral ou parcelado. Receberá todo o valor aqueles que têm até R$ 2 mil líquidos de 13º. O critério foi o social. Os demais receberão quando concluirmos operação financeira. Trabalho dia e noite para que essa situação não se repita em 2020. Recuperação Fiscal é a solução”, explicou o governador, em um tuíte
Nesta quarta-feira, milhares de servidores da educação, saúde e administração se reuniram em frente ao prédio Gerais, na Cidade Administrativa, sede do Governo de Minas Gerais para cobrar uma definição sobre o pagamento do 13º salário. A expectativa era de que o cumprimento do benefício aconteceria ainda neste ano, principalmente depois de aprovada na Assembleia Legislativa a venda dos créditos do nióbio.
Com faixas, os manifestantes pediram isonomia entre as categorias do funcionalismo, uma vez que o governo anunciou o pagamento da primeira parcela para os servidores da segurança pública. Muitos também trouxeram apitos e cartazes criticando Zema.
A expectativa do governo é de uma arrecadação de R$ 5 bilhões com a operação do nióbio. A data limite para que a operação aconteça na B3, antiga Bolsa de Valores de São Paulo, é 23 de dezembro, próxima segunda-feira.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar