Chácara com 33 pit bulls no interior de SP tinha esteira, anabolizantes, piscina e espaço para treinamento

Segundo a Polícia Civil de Itu, denúncia apontou que cachorros estavam na propriedade. Peruano flagrado em uma rinha em Mairiporã era responsável pelo local.

152

A chácara onde foram resgatados 33 cachorros da raça pit bull estava com equipamentos e substâncias para o treinamento dos cães, segundo a polícia. A retirada dos animais por entidades, na região do Chácaras Reunidas Ipê, em Itu (SP), terminou depois de 17 horas de trabalho.

De acordo com a Polícia Civil, foram encontradas uma esteira adaptada, uma piscina vazia, um espaço onde seriam realizadas as rinhas, além de frascos de anabolizantes.

Na força-tarefa, participaram voluntários e representantes de ONGs de várias cidades da região de Sorocaba e da Grande São Paulo.

De acordo com a polícia, foram encontrados indícios de que os cachorros eram alimentados com restos dos outros animais mortos que eram criados na propriedade, como bodes e gambás. Os animais silvestres também foram retirados da área.

A veterinária Patrícia Daut, presidente da ASPA Itu, foi até a chácara e identificou situação de maus-tratos. A maioria, segundo ela, estava magra e doente.

Segundo uma pessoa que trabalha no local disse à polícia, a área estava sob a responsabilidade de um dos peruanos presos em uma operação que fechou uma rinha internacional, em Mairiporã (SP). A defesa dele não foi localizada para falar sobre o caso.

Denúncia

Na tarde de segunda-feira (16), uma denúncia anônima informou que os animais estavam sendo retirados da propriedade depois da ação que prendeu 41 suspeitos.

Vídeos registrados mostram que os animais ficavam espalhados e acorrentados em espaços separados. Como algumas casinhas estavam vazias, a polícia suspeita que eles estavam sendo retirados.

A perícia foi acionada e imagens de câmeras de segurança devem ajudar a polícia na investigação sobre a movimentação no endereço.

Em nota à TV TEM, a prefeitura afirmou que o local não tem registro para o funcionamento.

Operação

A Polícia Civil do Paraná informou na segunda-feira (16) que 41 pessoas foram presas na operação. Equipes foram até a rinha em Mairiporã na noite de sábado (14).

No momento em que os policiais invadiram o local, ainda segundo a investigação, houve resistência por parte dos suspeitos. As apostas eram feitas pessoalmente e também pela internet. Ao todo, foram apreendidos R$ 47 mil.

Dos que foram presos, apenas o suspeito de organizar o evento teve a prisão mantida pela Justiça após audiência de custódia no Fórum de Guarulhos nesta segunda-feira (16).

Entre os detidos que foram liberados estão o veterinário e o médico que, segundo a Polícia Civil, eram responsáveis por reanimar os cães machucados durante as lutas.

Os quatro estrangeiros que foram presos em flagrante tiveram a soltura decretada mediante pagamento de fiança. Eles também ficam proibidos de deixar o Brasil e devem entregar seus passaportes.

Os suspeitos podem responder por associação criminosa, maus-tratos contra animais com agravante de morte e jogo de azar.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar