Presente na abertura da 7ª Conferência de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais, em Contagem, a secretária de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Elizabeth Jucá, reafirmou o compromisso do Governo na manutenção e execução das políticas públicas de segurança alimentar e nutricional e de agricultura familiar no estado. “O centro da Sedese está no indivíduo e nas famílias. Neste sentido, precisamos ouvir vocês. Esta conferência irá pautar as ações e políticas públicas estaduais para os próximos anos”, enfatizou.

Com o tema “Por Direitos, Democracia, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional”, a Conferência segue até este sábado (7/12), na Pontifícia Universidade Católica (PUC), sob a coordenação do presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), Élido Bonomo.

Agricultura familiar
Elizabeth Jucá também destacou a importância do desenvolvimento da agricultura familiar. “Esse segmento atua na promoção da saúde e redução da pobreza. E pode contribuir para o desenvolvimento econômico local com geração de renda para as famílias. Estamos empenhados na ideia de capacitar os municípios com objetivo de desenvolver projetos que favoreçam o desempenho da agricultura familiar”, complementou.

Já o presidente do Consea, Élido Bonomo, abordou a importância do fortalecimento da segurança alimentar em um cenário de fome e de empobrecimento das famílias brasileiras. “Temos que identificar quais são os problemas da população para propor medidas de combate à fome e que não se esgotam em Minas Gerais. É uma etapa fundamental para discutir e trocar experiências sobre o que todos fizeram em cada bairro, município ou território e apresentar ao Estado”, observou.

Também participaram da abertura da conferência, representantes da PUC Minas e Universidade de Brasília (UNB), Prefeitura de Contagem, Ministério Público de Minas Gerais, Assembleia Legislativa de Minas Gerais, entidades e organizações, além de cerca 300 pessoas entre delegados eleitos nas etapas regionais.

Continua depois da publicidade. Se a imagem não aparecer clic em F5

Presente na abertura da 7ª Conferência de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais, em Contagem, a secretária de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Elizabeth Jucá, reafirmou o compromisso do Governo na manutenção e execução das políticas públicas de segurança alimentar e nutricional e de agricultura familiar no estado. “O centro da Sedese está no indivíduo e nas famílias. Neste sentido, precisamos ouvir vocês. Esta conferência irá pautar as ações e políticas públicas estaduais para os próximos anos”, enfatizou.

Com o tema “Por Direitos, Democracia, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional”, a Conferência segue até este sábado (7/12), na Pontifícia Universidade Católica (PUC), sob a coordenação do presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG), Élido Bonomo.

Agricultura familiar
Elizabeth Jucá também destacou a importância do desenvolvimento da agricultura familiar. “Esse segmento atua na promoção da saúde e redução da pobreza. E pode contribuir para o desenvolvimento econômico local com geração de renda para as famílias. Estamos empenhados na ideia de capacitar os municípios com objetivo de desenvolver projetos que favoreçam o desempenho da agricultura familiar”, complementou.

Já o presidente do Consea, Élido Bonomo, abordou a importância do fortalecimento da segurança alimentar em um cenário de fome e de empobrecimento das famílias brasileiras. “Temos que identificar quais são os problemas da população para propor medidas de combate à fome e que não se esgotam em Minas Gerais. É uma etapa fundamental para discutir e trocar experiências sobre o que todos fizeram em cada bairro, município ou território e apresentar ao Estado”, observou.

Também participaram da abertura da conferência, representantes da PUC Minas e Universidade de Brasília (UNB), Prefeitura de Contagem, Ministério Público de Minas Gerais, Assembleia Legislativa de Minas Gerais, entidades e organizações, além de cerca 300 pessoas entre delegados eleitos nas etapas regionais.

Conferência
A 7ª Conferência de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais discute os desafios e as medidas para reverter o cenário de insegurança alimentar e nutricional.

Além disso, promove políticas que atendam às demandas da sociedade como também renova os compromissos com a implementação da Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional e o monitoramento das ações públicas vinculadas à área, constantes no Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) do Estado, que integrarão o Plano Estadual inserido na Política de Segurança Alimentar e Nutricional (San).
A Conferência debate propostas de trabalho para a segurança alimentar nos próximos anos, incluindo planejamento e execução das políticas públicas especialmente para os municípios com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo.
O superintendente de Integração e Segurança Alimentar da Sedese, Henrique Carvalho, destacou políticas de Estado para a segurança alimentar como o acesso à água, a distribuição de insumos, o fomento à criação do banco de alimentos, além de assistência técnica, fomento e apoio ao associativismo e à comercialização.

Realizada pelo Consea- MG e pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), a conferência busca definir as prioridades para subsidiar a elaboração do Plano Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Plesans), além de discutir e avaliar a Política de Segurança Alimentar e Nutricional (San) e o Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável em Minas Gerais (Sisan). É uma oportunidade também para o intercâmbio de experiências entre os participantes.

Conferência
A 7ª Conferência de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais discute os desafios e as medidas para reverter o cenário de insegurança alimentar e nutricional.

Além disso, promove políticas que atendam às demandas da sociedade como também renova os compromissos com a implementação da Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional e o monitoramento das ações públicas vinculadas à área, constantes no Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) do Estado, que integrarão o Plano Estadual inserido na Política de Segurança Alimentar e Nutricional (San).
A Conferência debate propostas de trabalho para a segurança alimentar nos próximos anos, incluindo planejamento e execução das políticas públicas especialmente para os municípios com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo.
O superintendente de Integração e Segurança Alimentar da Sedese, Henrique Carvalho, destacou políticas de Estado para a segurança alimentar como o acesso à água, a distribuição de insumos, o fomento à criação do banco de alimentos, além de assistência técnica, fomento e apoio ao associativismo e à comercialização.

Realizada pelo Consea- MG e pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), a conferência busca definir as prioridades para subsidiar a elaboração do Plano Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Plesans), além de discutir e avaliar a Política de Segurança Alimentar e Nutricional (San) e o Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável em Minas Gerais (Sisan). É uma oportunidade também para o intercâmbio de experiências entre os participantes.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar