Um Grito no silêncio – parte 2

383

 

De ontem: As promessas de geração de empregos foram cumpridas? Onde ficaram as mudanças e os projetos, alguns ate mirabolantes? Onde ficaram os resultados positivos?

Hoje, no Executivo, uma lástima e não sou eu que falo. É como se vê em comentários e nas redes sociais. Não entro em detalhes sobre esse ou aquele projeto, vocês são testemunhas vivas do que vem acontecendo.

E sobre o Legislativo é preciso mais comentários dos que já tem?

Quero frisar bem que não falo desse ou daquele político, eu falo para o nosso povo. Nada tenho contra ou a favor a politico nenhum. Como cidadãos são excelentes mas como políticos deixam a desejar.

Se a imagem não aparecer clic em F5

HORÁRIO DE TRABALHO

Tem prefeituras com expediente integral. Dá mais produção interna e ajuda no expediente comercial.

Afinal, a jornada de trabalho é de 8 horas, Mas isso fica a critério do executivo.

SALÁRIO

É natural que se receba pelo que faz. Mas não é preciso extrapolar. Será que um Secretário de uma empresa ganha o mesmo que um secretário municipal, considerando o de Iturama? Afinal, as condições econômicas de nossa municipalidade, segundo os gestores, não é satisfatória. Muita economia poderia ser feita a favor de outros setores

Quero falar é da responsabilidade que devemos ter para com Iturama. Da responsabilidade que devemos ter na escolha de quem pode e quem deve com consciência tranquila, ser em breve futuro, o dirigente dos destinos de nossa cidade. Gerir sem revanchismo, sem o vírus pernicioso e malicioso da política exercida até então, sem paternalismo e sem “conchavos”. Quero lembrar que a responsabilidade dessa escolha é do povo e não de “alguns grupos”, já doutrinados pelo sistema. E quando falo responsabilidade do povo, é do povo que sofrido por essa política viciada e do povo cansado de frustrações. Do povo que deve saber escolher um gestor com a RESPONSABILIDADE DE LUTAR PELO SEU POVO e não com aquele “povo” que tem debaixo de suas “asas protetoras”.

Vocês já ouviram um politico dizer NÃO? Não falam: Somente dizem: “Não vou esquecer. Você está em minha pauta”; “Estamos estudando a melhor maneira. Dá só um tempinho”; “Estamos resolvendo um probleminha de secretaria e vai dar certo”: e assim por diante. Quem ficou frustrado? Você!

A escolha de assessores? Assessoria é para ajudar. E o que fazem? Só obedecem! Cumprem ordens e “assumem” a culpa disso ou daquilo para “desculpar” seu mandante ou “patrão”. Ou melhor, até agora só atrapalharam! A soberba sobe à cabeça e pensam ser os “reizinhos”.

Assessor tem que ser politizado e habilitado profissionalmente para ajudar gerir boas coisas. Não é só ficar em gabinete. Ele tem que ver, observar, avaliar, exigir eficiência e produtividade em clima de harmonia com um diálogo sadio e não autoritário; criar uma pauta para atendimento ao público e dar respostas sem paixões políticas ou pessoais; procurar soluções. Enfim, para cada caso saber escolher a pessoa certa! Assessor é o elo entre povo e Executivo. Não pode ser diferente. Ele não é o senhor absoluto!

Jurídico – Controladoria – Contabilidade

Esse é o tripé da sustentação administrativa. Um prevê resultados positivos ou não; aplicabilidade ou não. Outro fornece dados sobre os fatos; e outro a disponibilidade, previsão e situação financeira. Se esses assessores forem exigentes com eles mesmos, se não “saírem” para favorecer “vontade” do Executivo para objetivos extra planejados tudo sairá a contento, mas se saírem da meta politicamente correta, acontece o que já estamos cansados de ver: má aplicação e suas consequências, e algumas graves por seus efeitos colaterais.

SERVIDORES

Sabemos que lidar com o elemento humano, exige habilidade, posto que cada um tem personalidade própria. Mas é problema que pode ser resolvido. Para isso é necessário que haja reuniões periódicas e se possível com assistência de um psicólogo e a presença do Executivo. Incluir no dia a dia um tempo de 10 minutos para a prática de exercícios de alongamento e respiratório, que devolve o bom humor e vontade de produzir…

HORÁRIO DE TRABALHO –Tem prefeituras com expediente integral. Dá mais produção interna e ajuda no expediente comercial. Afinal, a jornada de trabalho é de 8 horas, Mas isso fica a critério do executivo.

SALÁRIO – É natural que se receba pelo que faz. Mas não é preciso extrapolar. Será que um Secretário de uma empresa ganha o mesmo que um secretário municipal, considerando o de Iturama? Afinal, as condições econômicas de nossa municipalidade, segundo os gestores, não é satisfatória. Muita economia poderia ser feita a favor de outros setores, é uma questão também de bom senso, critério e zelo pela coisa pública e não “favoritismo”.

Amanhã teremos a 3ª parte e final deste Meu Kantinho. Até lá!

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar