Primeira cirurgia robótica é realizada Uberlândia

Procedimento ocorreu em paciente de 74 anos. A técnica é menos invasiva e tem melhores resultados, segundo especialistas

411

No último sábado (31) ocorreu em Uberlândia, a realização da primeira cirurgia robótica do Triângulo Mineiro.

A iniciativa é resultado de uma parceria entre Uberlândia Medical Center (UMC) e o Instituto de Cirurgia Robótica Ciências Médicas da Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma), em Belo Horizonte.

Segundo o UMC, o procedimento cirúrgico promoveu a retirada da próstata de um paciente de 74 anos. Chamada de prostatectomia, a técnica foi realizada durante três horas e meia e foi muito bem sucedida, segundo a equipe de profissionais da instituição.

A robótica é um tipo de tecnologia em que o médico utiliza um sistema com visualização tridimensional e alta definição, para reproduzir todas as características de uma cirurgia aberta convencional. Este método representa o que há de mais avançado no campo da cirurgia minimamente invasiva, proporcionando inúmeras vantagens para os profissionais e benefícios vitais para os pacientes como um maior conforto e redução da dor; melhores resultados funcionais; a redução do tempo de hospitalização e internação.

Para este mês, já estão programadas 15 cirurgias com uso do robô no UMC. O aparelho tem capacidade de fazer até 60 intervenções por mês e pode ser utilizado por diversas especialidades médicas.

Continua depois do anúncio – Se a imagem n]ão aparecer clic em F5

 

Os valores de investimento do projeto e o custo médio das intervenções não foram revelados pelas instituições.

Procedimento

O cirurgião urologista Marcelo Takeo foi o médico responsável por operar o robô portátil de quatro “braços”. Em um deles fica a câmera e nos outros três as pinças, tesouras e bisturis.

O médico precisa ser habilitado e treinado especificamente para o procedimento para dar os comandos para a máquina. Todo movimento que ele faz é repetido pelos braços mecânicos.

Por enquanto, o UMC informou que tem dois médicos habilitados para a cirurgia. São cerca de 30 pessoas envolvidas diretamente no programa de robótica da instituição.

A determinação do procedimento é uma escolha do médico, previamente autorizada pelo paciente.

Segundo a Feluma, o Instituto de Robótica Ciências Médicas já ultrapassa mais de 1.100 procedimentos realizados, desde a criação do projeto há dois anos e meio.

Os outros quatro aparelhos que realizam este tipo de cirurgia em Minas estão em Belo Horizonte.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar