O Dia Mundial Sem Tabaco é comemorado em 31 de maio, e neste dia, uma equipe da Vigilância da Secretaria Municipal de Saúde em parceria com o IEP estiveram em frente a prefeitura de Iturama distribuindo panfletos educativos sobre o Tabaco realizando aferição de pressão arterial e teste de Glicemia.

A enfermeira referência em Tabagsmo, Aparecida Aline de Oliveira, destaccou algumas orientações com relação aos procedimentos.

Saiba mais sobre “Tabaco e saúde pulmonar”

O Dia Mundial Sem Tabaco – 31 de maio – foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o INCA é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.

Para 2019, a OMS definiu o tema “Tabaco e saúde pulmonar” para ser trabalhado internacionalmente no Dia Mundial sem Tabaco para aumentar a conscientização sobre:

O impacto negativo que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo exercem sobre a saúde pulmonar, do câncer de pulmão às doenças respiratórias crônicas como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (que inclui bronquite e efisema);

  • O tabaco fumado, em qualquer uma de suas formas, é responsável por até 90% de todos os cânceres de pulmão;
  • O papel fundamental que os pulmões desempenham na saúde e no bem-estar de todas as pessoas.

    Você conhece os riscos que o tabagismo pode causar na sua vida?

O consumo do tabaco é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão e importante fator de risco para doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), tuberculose, dentre outras enfermidades pulmonares.

Além disso, a exposição ao tabagismo passivo (ou seja, a exposição involuntária à fumaça do tabaco), em curto período, pode acarretar reações alérgicas — rinite, tosse, conjuntivite, exacerbação de asma. Em adultos expostos por longos períodos, o tabagismo passivo pode levar ao infarto agudo do miocárdio, câncer do pulmão e doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica). Em crianças, a exposição passiva aumenta o número de infecções respiratórias. Bebês expostos ainda no útero às toxinas da fumaça do tabaco — por meio do tabagismo materno ou da exposição materna ao fumo passivo — frequentemente experimentam redução do crescimento e da função pulmonar.

Doenças pulmonares: o que são?

Doenças pulmonares são aquelas que acometem os pulmões, prejudicando o seu pleno funcionamento, como câncer de pulmão, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), enfisema pulmonar e bronquite crônica. As enfermidades pulmonares podem causar incapacidade e morte prematura. Fumar é fator de risco para o desenvolvimento de doenças respiratórias. Parar de fumar ou nem iniciar é a melhor forma de prevenção.

Câncer de pulmão

O tabagismo é a principal causa de câncer de pulmão, responsável por mais de dois terços das mortes por esta doença no mundo. A exposição ao fumo passivo, em casa ou no local de trabalho, também aumenta o risco de câncer de pulmão. Este é o segundo mais comum em homens e mulheres no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma). E é o primeiro em todo o mundo desde 1985, tanto em incidência quanto em mortalidade.

Em aproximadamente 85% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco. Parar de fumar pode reduzir o risco de câncer de pulmão: após 10 anos de parar de fumar, o risco de câncer de pulmão cai para cerca de metade do de um não fumante.

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

O tabagismo é a principal causa de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), condição que inclui a bronquite crônica e o enfisema pulmonar. O risco de desenvolver DPOC é particularmente alto entre os indivíduos que começam a fumar ainda jovens, pois a fumaça do tabaco diminui significativamente o desenvolvimento pulmonar.

O consumo do tabaco também agrava a asma, o que restringe a atividade do indivíduo e contribui para a incapacidade. A cessação precoce do tabagismo é o tratamento mais eficaz para retardar a progressão da DPOC e melhorar os sintomas da asma.

Tuberculose
A tuberculose é uma doença infecciosa, grave e potencialmente mortal — se não for tratada. Ela é transmitida pelo ar e pode atingir todos os órgãos do corpo, especialmente os pulmões. A tuberculose danifica os pulmões e reduz a função pulmonar, situação ainda mais exacerbada pelo tabagismo.

Os componentes químicos do tabaco podem desencadear infecções latentes da tuberculose. A tuberculose ativa — agravada pelos efeitos prejudiciais para a saúde dos pulmões pelo uso do tabaco — aumenta substancialmente o risco de incapacidade e morte por insuficiência respiratória.

 

O Dia Mundial Sem Tabaco é comemorado em 31 de maio, e neste dia, uma equipe da Vigilância da Secretaria Municipal de Saúde em parceria com o IEP estará em frente a prefeitura de Iturama distribuindo panfletos educativos sobre o Tabaco realizando aferição de pressão arterial e teste de Glicemia.

A Aparecida Aline de Oliveira enfermeira referência em tabagismo, destaca algumas orientações com relação aos procedimentos.” É importante que os funcionários que se interessar em passar pelos procedimentos de Glicemia estejam em jejum”, destacou.

Aline, ainda frisou que desde o mês de maio começou desenvolver trabalho em grupos que participam de reuniões semanais destacando os prejuízos que o tabaco causa a saúde e conscientizando as pessoas desta importância.

Saiba mais sobre “Tabaco e saúde pulmonar”

O Dia Mundial Sem Tabaco – 31 de maio – foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o INCA é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.

Para 2019, a OMS definiu o tema “Tabaco e saúde pulmonar” para ser trabalhado internacionalmente no Dia Mundial sem Tabaco para aumentar a conscientização sobre:

 

  • O impacto negativo que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo exercem sobre a saúde pulmonar, do câncer de pulmão às doenças respiratórias crônicas como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (que inclui bronquite e efisema);
  • O tabaco fumado, em qualquer uma de suas formas, é responsável por até 90% de todos os cânceres de pulmão;
  • O papel fundamental que os pulmões desempenham na saúde e no bem-estar de todas as pessoas.

    Você conhece os riscos que o tabagismo pode causar na sua vida?

O consumo do tabaco é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão e importante fator de risco para doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), tuberculose, dentre outras enfermidades pulmonares.

Além disso, a exposição ao tabagismo passivo (ou seja, a exposição involuntária à fumaça do tabaco), em curto período, pode acarretar reações alérgicas — rinite, tosse, conjuntivite, exacerbação de asma. Em adultos expostos por longos períodos, o tabagismo passivo pode levar ao infarto agudo do miocárdio, câncer do pulmão e doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica). Em crianças, a exposição passiva aumenta o número de infecções respiratórias. Bebês expostos ainda no útero às toxinas da fumaça do tabaco — por meio do tabagismo materno ou da exposição materna ao fumo passivo — frequentemente experimentam redução do crescimento e da função pulmonar.

Doenças pulmonares: o que são?


Doenças pulmonares são aquelas que acometem os pulmões, prejudicando o seu pleno funcionamento, como câncer de pulmão, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), enfisema pulmonar e bronquite crônica. As enfermidades pulmonares podem causar incapacidade e morte prematura. Fumar é fator de risco para o desenvolvimento de doenças respiratórias. Parar de fumar ou nem iniciar é a melhor forma de prevenção.

Câncer de pulmão

O tabagismo é a principal causa de câncer de pulmão, responsável por mais de dois terços das mortes por esta doença no mundo. A exposição ao fumo passivo, em casa ou no local de trabalho, também aumenta o risco de câncer de pulmão. Este é o segundo mais comum em homens e mulheres no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma). E é o primeiro em todo o mundo desde 1985, tanto em incidência quanto em mortalidade.

Em aproximadamente 85% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco. Parar de fumar pode reduzir o risco de câncer de pulmão: após 10 anos de parar de fumar, o risco de câncer de pulmão cai para cerca de metade do de um não fumante.

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)


O tabagismo é a principal causa de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), condição que inclui a bronquite crônica e o enfisema pulmonar. O risco de desenvolver DPOC é particularmente alto entre os indivíduos que começam a fumar ainda jovens, pois a fumaça do tabaco diminui significativamente o desenvolvimento pulmonar.

O consumo do tabaco também agrava a asma, o que restringe a atividade do indivíduo e contribui para a incapacidade. A cessação precoce do tabagismo é o tratamento mais eficaz para retardar a progressão da DPOC e melhorar os sintomas da asma.

Tuberculose

A tuberculose é uma doença infecciosa, grave e potencialmente mortal — se não for tratada. Ela é transmitida pelo ar e pode atingir todos os órgãos do corpo, especialmente os pulmões. A tuberculose danifica os pulmões e reduz a função pulmonar, situação ainda mais exacerbada pelo tabagismo.

Os componentes químicos do tabaco podem desencadear infecções latentes da tuberculose. A tuberculose ativa — agravada pelos efeitos prejudiciais para a saúde dos pulmões pelo uso do tabaco — aumenta substancialmente o risco de incapacidade e morte por insuficiência respiratória.

 

Copyright © 2019. Prefeitura de Iturama.Desenvolvido por Intercode

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar