Por motivos de viagens estivemos sem nos apresentar por alguns dias. Mas estamos de volta.

De volta e comentando sobre o surgimento de um Grupo de Ações Políticas Consciente, junto à comunidade ituramense, para o desenvolvimento de uma política moralista, produtiva, honesta e participativa.

Naturalmente vai mostrar a população um perfil diferente dos demais que apareceram até hoje, com relação às próximas eleições municipais, objetivando evitar que o continuísmo da política até ao momento exercida seja a tônica no futuro. Um sistema em que mudar para que a cidade tenha um surto de desenvolvimento, seja uma constante.

O objetivo a ser alcançado, deverá ser, não o do sempre, como baseado em promessas feitas por candidatos aos cargos de prefeito e vereador, que todos sabem nem sempre e todas poderão ser cumpridas, porque pelo que foi e é visto, dos eleitos para o mandato atual, foram atos de conivência, promoções e benefícios de interesses próprios e não coletivos.

Ações sobre conscientização para se ter uma política honesta e com objetivos voltados ao bem do cidadão e do município devem ser alastrar, levando à comunidade, o senso de dever e de cumprir conscientemente o seu trabalho, o seu voto, para que Iturama tenha amanhã uma administração sadia e voltada para o desenvolvimento e bem-estar social de todos e não parcial como tem sido  até agora.

Para isso, os componentes desse Grupo, deverá ser composto, pelo que se sabe, por pessoas com ideias novas e isentas de interesse próprio, mas sim coletivo; pessoas novas  que acompanhando as políticas até então, desenvolvidas, se rebelam contra esse estado de coisas em que todos aqui moradores se sentem envergonhados, com exceção de alguns de cabeças baixas por conveniência ou por “coleguismo” nada invejável, mas a maioria se lamentando, criticando, arrependidos e revoltados por verem o descaso, a omissão do Legislativo em suas funções trocadas por ações de conivência com o Executivo; de verem a “coragem” do Executivo em promover todo esse clamor e a cidade de Iturama, descendo os degraus do progresso, do bem estar, da dignidade, a tão alto custo conseguidos, mesmo com os “deslizes” de outros mandatários e vereadores.

Uma situação infeliz que Iturama e seu povo não merecem pelo muito que já fizeram.

Hoje, esse grau de deficiência administrativa, chegou ao ponto máximo. E por isso a comunidade deve se conscientizar e lutar para a emergência de uma nova Iturama altaneira como sempre foi; de lutar por uma Iturama onde se tinha orgulho de se dizer ituramense; uma Iturama que sem “tanque cheio”, continuava a crescer; uma Iturama onde se podia dizer a bom som, uma cidade boa de viver.

 

 

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar