Encontro do Rio Piracicaba com um de seus afluentes, o Rio Santa Bárbara, em Bela Vista de Minas

Promover estudos sobre qualidade da água, uso e ocupação do solo, parâmetros hidrológicos, análise de sedimentos e identificação de fontes poluidoras. Compor esse retrato completo da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba, na Região Central de Minas Gerais, é o objetivo da Expedição Piracicaba – Pela Vida do Rio. A iniciativa, promovida em parceria pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba (CBH-Piracicaba), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), jornal Tribuna do Piracicaba e pela Universidade Federal de Itajubá (Unifei) – Campus Itabira, reunirá 16 pesquisadores que vão estudar os 241 quilômetros do Rio Piracicaba, que é o principal afluente do Rio Doce.

Rio Piracicaba na altura da cidade que leva o mesmo nome (Crédito: Geraldo Magela Dindão)

A expedição inédita, que percorrerá o rio desde a nascente, em Ouro Preto, até a foz, em Ipatinga, terá início oficial em 26 de maio, com um evento programado para a Praça Minas Gerais, em Mariana, a partir das 9h. Hoje (13/5) e amanhã, uma equipe da expedição irá percorrer o leito do rio para mapear o percurso, identificar trechos navegáveis e não navegáveis, traçar rotas para as equipes que seguirão por terra e levantar todos os recursos de infraestrutura necessários.

Continua depois da publicidade

Faça a renovação de seu registro junto ao IEF. Não deixe para a última hora.

Além do trabalho científico, coordenado pela Unifei, a expedição busca a mobilização social em prol da revitalização da bacia e promoverá eventos socioambientais e culturais nas 21 cidades que serão visitadas. Os pesquisadores e equipe de apoio, que somam 24 pessoas, percorrerão os 241 quilômetros do Rio Piracicaba – parte navegando em caiaques, parte por deslocamento terrestre – em 11 dias, finalizando o trajeto em Ipatinga, em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. É na cidade do Vale do Aço que o Rio Piracicaba deságua no Rio Doce.

Além da Unifei, a iniciativa conta com o apoio de 81 parceiros envolvidos direta e indiretamente na construção de políticas públicas de recuperação e preservação de recursos hídricos, como a Agência Nacional das Águas (ANA), comitês das bacias hidrográficas do Rio Doce e do Rio das Velhas e das 21 prefeituras e câmaras municipais das cidades que compõem a bacia. Também são parceiros da expedição a Emater-MG, Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Companhia de Polícia Militar de Meio Ambiente (Cia Mamb), Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMMG), Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e associações dos municípios do Médio Piracicaba (Amepi) e do Vale do Aço (Amva), além de diversas ONG’s e entidades da sociedade civil.

A pesquisa

A Expedição Piracicaba – Pela Vida do Rio vai gerar o mais amplo diagnóstico já realizado na Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba e um dos mais completos do Brasil. Pesquisadores e mestrandos da Unifei do campus Itabira, acompanhados de outros especialistas, descerão o Rio Piracicaba e coletarão amostras de água e solo, além de fazer levantamentos sobre uso e ocupação do solo e identificar fontes poluidoras, como indústrias e pontos de lançamento de efluentes. Entre os parâmetros de qualidade da água que serão analisados estão pH, temperatura, oxigênio dissolvido, condutividade elétrica, turbidez, concentração de nitrogênio, fósforo, amônia, coliformes termotolerantes, sólidos totais e sílica solúvel.

A Unifei é reconhecida como um polo de estudos dessa temática, sendo uma das 14 universidades brasileiras parceiras da ANA na oferta do ProfÁgua, mestrado na área de gestão e regulação de recursos hídricos. Equipes do Igam acompanharão o trabalho para certificar a metodologia adotada.

Os dados obtidos serão comparados com os resultados de pesquisas realizadas em 1986, 1989, 1993 e 1999, que estudaram alguns dos parâmetros agora analisados. Todas as análises e resultados da pesquisa serão condensados em uma publicação técnico-científica.

Mobilização Social

Fortalecer a mobilização social em prol da recuperação da Bacia do Rio Piracicaba é um dos desdobramentos que a expedição espera alcançar. Serão promovidos 24 eventos nas cidades percorridas, organizados pelas prefeituras por meio das secretarias de Meio Ambiente. A expectativa é de que 20 mil pessoas participem das ações socioambientais e culturais.

A expedição contribuirá, ainda, para a Revisão do Plano de Bacia, projeto que será desenvolvido entre o segundo semestre de 2019 e primeiro semestre de 2020 pelo CBH-Piracicaba.

Serão produzidos registro audiovisual de todo o percurso e das atividades promovidas, exposição fotográfica itinerante nas cidades da bacia entre 2019 e 2020 e a publicação de uma revista que trará a participação de cada município no projeto.

 

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar