Quem pode mais? O Município ou a Copasa?

Apesar de haver contrato, haver lei, haver acordos sobre e com a Copasa, nada é resolvido. O Vereador Carlito acusa a empresa de desrespeitar cláusulas contratuais, desrespeitar lei específica sobre instalação de “bloqueadores de ar” nos cavaletes de água gratuitamente e está cobrando caro. Mostra BO feito contra a Copasa por ter perfurado 3 poços profundos ilegalmente, para captação de água em Alexandrita, e cobrando da comunidade; e também se ela paga taxa e impostos municipais. Mas até agora nada aconteceu. Então a COPASA é mais forte e pode mais.

Cadê o Frigorífico de Peixe?

Os vereadores Ana Lúcia, Ricardo Baiano e Tulio do Lanche, se opõem a aprovação de projeto para contratar um médico veterinário para o frigorífico de peixe. Só pode ser por antecipação, pois o tal frigorífico nem existe ainda. A alegação é de que precisa haver um veterinário especialista para não perder a verba para a obra. Será verdade? O contratado teria o salário de R$5.700,00, ou R$68.400,00 ao ano, senão tiver o 13º.

Salários atrasados e ruas esburacadas

Sobre o novo contrato a população gritou de imediato: “antes de contratar mais gente, procurar cuidar das ruas, dos bairros e pagar quem foi demitido há 2 anos e meio. Até hoje sem receber porque não tem dinheiro (mentira), mas para novo cargo tem?

IPTU? O daqui é prá quê?

O grito agora é para o IPTU. Nem terminou o de 2018 e já veio o de 2019 sem o retorno devido. As ruas não são conservadas, os bairros em estado vergonhoso, a iluminação falha, as estradas sem manutenção, as obras estão invisíveis, os frigoríficos são imaginários e a pergunta foi: “O IPTU daqui serve prá quê? Imposto Prá Ter Usurpação?”

Cadê minha hora extra?

As queixas são dos funcionários do Cemitério. Trabalham fora de hora e não recebem horas extras porque “como medida de economia” foram cortadas.

Arrecadação aumenta e as dívidas crescem?

A queixa do prefeito é de que a arrecadação caiu. Caiu onde? Em que lugar? Muitas dúvidas quanto a isso, porque em 2017 foi 114 milhões; 2018 foi de 118 milhões e até o meado de abril de 2019, foi de 40 milhões. Caiu onde? As dívidas são de alugueis, de médicos sem receberem; de demitidos sem receberem a mais de 2 anos, a limpeza para de vez em quando porque não recebe; a iluminação terceirizada diz não receber e também alguns fornecedores… Caiu onde se tem essas dívidas?

Até que enfim uma coisa boa!

Alexandrita ganhou um benefício. Foi inaugurada uma unidade do CRAS – Centro de Referência de Assistência Social. Alexandrita merece! Demorou mas chegou! Parabéns!

 

 

 

 

 

 

 

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar