Romeu Zema assumiu a gestão do Governo de Minas com a difícil missão de reerguer um Estado aparelhado, burocrático e deficitário – para 2019, está previsto um déficit bilionário no orçamento fiscal estadual. O panorama não é nada favorável e, ciente de todas as dificuldades impostas, o governo tem buscado meios para retomar a credibilidade e o crescimento econômico. Uma das alternativas, já sinalizada pelo Estado nestes primeiros 100 dias de gestão, é apostar no setor produtivo criativo.

A economia criativa compreende a exploração de atividades que englobam, por exemplo, o audiovisual, o patrimônio cultural, a gastronomia, a moda, o design, o artesanato, a arquitetura, a publicidade e as startups. Juntos, todos estes segmentos geram mais de 450 mil empregos no estado e são responsáveis por 9,84% das vagas na economia criativa no Brasil, segundo levantamento do P7 Criativo publicado em outubro do ano passado.

O estudo indica ainda que a economia criativa gera R$ 788 milhões em renda mensal para os mineiros. A gerente de Inteligência Competitiva da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Gabriela Ferreira Franco, ressalta a capacidade da indústria criativa de gerar valor. “Há um esforço especifico com objetivo de promover negócios que têm a criatividade, a inovação e o conhecimento como ingredientes para a geração de valor. A economia criativa tem o potencial de transformar ativos intangíveis, como cultura e a criatividade local, em produtos e serviços de valor agregado”, avalia Gabriela.

Na visão do analista do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae Minas), Anderson Costa Cabido, a economia criativa poderá representar a principal estratégia de diversificação econômica do estado. “As estatísticas comprovam essa tendência, necessitando uma articulação dos principais atores para acelerar esse processo e oferecer uma efetiva, viável e poderosa alternativa para a diversificação econômica”, acredita o analista, que realiza atendimentos especializados aos empreendedores que atuam, ou desejam atuar, neste setor.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar