Incorporada ao Programa Nacional de Imunizações em 1999, a estratégia de vacinação contra a influenza tem como objetivo reduzir internações, complicações e óbitos decorrentes das infecções causadas por esse tipo de vírus. Seguindo essa estratégia, teve início nesta quarta-feira (10/4), a 21° Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza, que seguirá até 31/5, sendo 4 de maio a data marcada para ser o Dia de Mobilização Nacional.

A campanha publicitária da Secretaria de Estado de Saúde (SES) está em fase final de elaboração e tem lançamento previsto para a próxima segunda-feira (15/4).

Público prioritário

De acordo com a coordenadora de Imunização da SES, Josianne Dias, em 2019, o público que deve receber a vacina representa, aproximadamente, 6.018.900 de mineiros. Esse número corresponde à meta, que é vacinar 90% da população. Em 2018, somente crianças de seis meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias recebiam a vacina contra a gripe durante a campanha. Por isso, a grande novidade neste ano é a ampliação da vacina para as crianças na faixa etária de seis meses a menores de seis anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias).

“Também fazem parte do público elegível para vacinação adultos com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional”, explica Josianne Dias.

Ainda de acordo com a coordenadora, para as pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade, conforme indicação do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas, mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacinação.

Crianças e gestantes

Josianne Dias destaca que, em 2018, embora a cobertura vacinal atingida pela campanha contra a influenza tenha registrado 95,8%, número superior à meta de 90%, essa mesma meta não foi alcançada pelo público alvo elegível de crianças e gestantes. Por isso, em 2019, a estratégia do Ministério da Saúde será realizada considerando momentos específicos para a mobilização da população, são eles:

– No período de 10/04 a 19/04: vacinação contra influenza de crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias e gestantes. Também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação, conforme a situação vacinal encontrada e as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

– No período de 22/04 a 31/05: vacinação de todos os grupos prioritários em todo o país. Também ocorrerá a atualização da Caderneta de Vacinação de crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias e gestantes, conforme a situação vacinal encontrada e as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

Estima-se o funcionamento de cerca de 4.100 postos de vacinação no Estado de Minas Gerais e a meta é imunizar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

Vacinação anual

De acordo com dados apresentados pelo Sistema de Informação Hospitalar (SIH), em 1998, o número de internações por pneumonia/gripe pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerias foi de 119.436. Já em 2018, 20 anos após a incorporação da vacina ao calendário de rotina, o número de internações no estado por pneumonia/gripe pelo SUS caiu para 69.867.

Por isso, Josianne Dias reforça a importância do público elegível para a Campanha Nacional de Vacinação se vacinar anualmente. “Em adultos saudáveis, a detecção de anticorpos protetores se dá entre duas a três semanas após a vacinação e apresenta, geralmente, duração de seis a 12 meses. Sendo assim, a proteção conferida pela vacinação é de aproximadamente um ano, motivo pelo qual é feita anualmente”, explica a coordenadora estadual de Imunização.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar