Tudo ao seu tempo ou já é tempo?

Eu fico pensando e ficando um pouco encabulado. Tudo bem que o Presidente da República não tem ainda 90 dias de governo, mas além da proposta de reforma da Previdência gerando polêmicas de um lado e de outro, estamos vendo um quadro negativo entre ministros, deputados e até de filho do Presidente e a turma “de lá” aproveitando para achincalhar.
O que houve com a escolha? Em campanha ele disse que saberia escolher quem iria formar seu staff, mas parece que houve invés disso, só indicações que aceitas e não correspondendo ao perfil esperado estão empanando a imagem do esperado “salvador da pátria.
Percebeu-se em alguns assuntos, um recuo de decisão; os ministérios que “seriam 15”, já são 22; a violência de forma geral vem aumentando; deputados e senadores se contradizem; declarações que depois são “esclarecidas como má interpretação” e as ações mesmo, não são efetuadas.
Por longos anos fui integrante do Exército brasileiro e as ordens e determinações eram cumpridas! Entendo que agora, o presidente Bolsonaro, não pode agir como se estivesse comandando um batalhão ou pelotão. Tem que ter o aval do Congresso, o que não é fácil dado as múltiplas interpretações, adversidades, emendas, vistas, e mais um tanto de burocracia, além dos já acostumados “aJeitons”, para votar ou não votar um ou outro projeto.
E com isso, o tempo vai passando e o Brasil -ainda sem rumo definido- vai piorando.
Entendo também, que a oposição tem seus interesses em dificultar essas ações; que a redes sociais, algumas emissoras de TV e grandes jornais, tendem a influenciar autoridades, torcer alguns fatos, maquiar algumas notícias, omitir alguns dados, mas o presidente, independente do Congresso tem sua autoridade para determinar alguns planos que já devem ou já deviam ter sido elaborados.
É de se ficar pensando: Quando irá começar a combater com um rigor maior a criminalidade? As violências em geral e notadamente estupros e agressões cruéis, contra as mulheres? Quando começará a tão propagada “castração química” aos pedófilos? E os assaltos a Bancos? Tiroteios entre gangues no Rio, São Paulo e outras capitais matando inocentes com tantas balas perdidas? Enfim, quando o brasileiro terá o direito de fato de ir e vir sem o medo de ser assaltado ou morto? Até quando o brasileiro ficará refém do crime organizado, da máfia brasileira, dos contrabandistas de drogas? Não há previsão…
A Educação apesar de determinar a cantarem o Hino Nacional está sendo martirizada, maculada, despida de um ensino de fato e os professores agredidos por seus alunos “intocáveis” conforme o tal de “Direitos Humanos”, que dele não se tem notícias de atendimento a uma família cujo pai ou mãe foi assassinada por marginais e até por menores; a maioridade penal a passos de tartaruga, também por imposição do tal Direito Humano; o menor não pode trabalhar mas pode roubar e matar e não ser punido.
A Saúde, essa coitada está na UTI e medicada pelos próprios parlamentares. Ou seja, cada dia pior! Hospitais, Prontos Socorros, com déficits financeiros, sem os repasses devidos (pela falta de dinheiro que “foram desviados” para fins escusos), padecem com a falta de medicamentos; os hospitais com falta de leitos; remédios, médicos, de reformas físicas e também devedores, não tem condições de dar atendimento ao público. Isso vemos diariamente nos noticiários e… até agora nada acontece para melhorar…
E essa crise, esse marasmo nos demais setores do governo federal que se estende prejudicando Estados e municípios vai até quando? E o povo brasileiro que esperançoso se vestiu de verde e amarelo, ansiosos pelas mudanças? Esse povo que acreditou, lutou e venceu, agora, como sempre fica no ostracismo?
Vou torcer para estar errado e que tudo se resolverá em breve. E se assim me expresso, talvez seja por culpa da ansiedade que tenho e que o Brasil (parte dele), quer uma mudança para melhor.
Por isso eu perguntei se tudo ao seu tempo ou já é tempo. Abraços, fé e esperança e que o tempo “acima de tudo já está chegando para todos”

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar