Na Reunião Ordinária da Câmara Municipal realizada em 21 de janeiro, um caso de omissão de atendimento médico, foi relatado como queixa pelo empresário Antônio Dimas, que tendo seu neto ,sofrido uma queda que ocasionou fratura em um de seus braços e que levado imediatamente ao Pronto Socorro local, não foi atendido por médico especialista (ortopedista). O não atendimento, segundo informação dada a ele, foi  “por falta de pagamento da prefeitura” e que por isso teve que dois dias após o acidente, levado seu neto, já com o braço inchado, à cidade de São José do Rio Preto onde foi prontamente atendido e submetido a uma cirurgia com colocação de um pino.

Essa queixa feita aos vereadores motivou revolta aos vereadores Ricardo Baiano, Carlito e Ana Lúcia, que relataram outros fatos que aconteceram no Pronto Socorro, inclusive o óbito de dois idosos, por falta também de adequado atendimento médico.

Ricardo Baiano, inflamado pelo fato relatado e sabedor de outros, pela mesma omissão do prefeito, requereu ao presidente da Câmara Renato Reis que fosse requerida a presença da Secretária de Saúde e do Secretário de Administração Municipal, em reunião próxima para dar explicações sobre os casos Dimas e dos dois idosos.

Como na reunião seguinte (4/01), ante o não comparecimento dos que deviam estar presentes para esclarecimentos, Ricardo Baiano, a alto som exigiu que fosse feito esse requerimento e não um Ofício como foi apresentado.

“A sociedade quer saber porque está acontecendo fatos dessa natureza. Dinheiro a prefeitura tem. Queremos saber porque isso acontece”.

Diante disso, o presidente determinou fosse feito o requerimento solicitando a presença da Secretária de Saúde e do Secretário de Administração.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar