Na Primeira Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Iturama, realizada na noite de 21 de janeiro, além dos inscrito para o uso da Tribuna Livre (5) e a aprovação de diversos projetos, três deles chamaram mais atenção do público, por serem dois deles de Honra ao Mérito ao 4º Batalhão da Polícia Rodoviária de Iturama, sob o comando do 2º Ten. PM Fernando Augusto Quatroque; à 3ª Cia de Policia Militar, representada pelo Cap. PM João Carlos (Autor o vereador Paulinho Dias), e o terceiro, prestando homenagem a Jacques Demolay, uma reivindicação da Ordem Demolay de Iturama, representada pelo Médico Veterinário Dr. Marcelo Miguel Belo Baltazar.

James Rogado

Usando a Tribuna Livre também, o Diretor da Universidade Federal do Triângulo Mineiro-UFTM, James Rogado, expressou em seu nome e em nome da Universidade, agradecimentos à comunidade, aos Poderes Públicos pelos apoios recebidos. Discorreu sobre as atividades da UFTM, de seus diversos projetos e cursos; sobre cursos futuros que dependem de estrutura adequada – que serão apresentados após a conclusão da sede da Universidade já em construção. Enalteceu as ações do Poder Executivo e do Legislativo pelos suportes à Entidade e da necessidade de extensão de parceria com a Escola Agrícola.

Frisou ainda o esforço e missão da UFTM, na “promoção de conhecimento e na formação de profissionais competentes, comprometimento com o desenvolvimento econômico, social, rural e tecnológico, proporcionando melhoria de vida à população”!

Disse ainda aos vereadores, que entre os projetos espera a influência dos mesmos, para que se conclua o Projeto de criação do Conselho Municipal Sobre Álcool e Drogas para exercer a política de prevenção, recuperação e reabilitação, que aventado desde 2015, até hoje não ocorreu.

Ao final, respondendo às perguntas feitas e reiterando agradecimentos, anunciou e convidou para que no dia 1º de fevereiro, participassem todos, da formatura da turma de Biologia e Química a ser realizado no salão de reuniões da Câmara Municipal.

 

Homenagem a Jacques Demolay

Dr. Marcelo Baltazar

Representando a Ordem Demolay de Iturama, o Dr. Marcelo Miguel Belo Baltazar, se dirigiu à Mesa Diretora e demais vereadores, solicitando a aprovação do projeto de denominar um local público, como uma homenagem dos integrantes da Ordem em homenagem ao seu Patrono, Jacques De Molay, um nobre, militar, cavaleiro e o último Grão Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, reconhecido como símbolo da lealdade e companheirismo. Dr. Marcelo em poucas palavras comentou que a Ordem Demolay com 25 anos de atividades local e de que no mundo completará em abril próximo, 100 anos de atuação, e para homenagear o seu Patrono, levou a sugestão ao vereador Paulinho Dias, para apresentar o projeto à apreciação dos demais vereadores, para que o local escolhido – a rotatória no encontro das Avenidas José Felisberto e Odilon Antônio de Freitas, fosse denominada de Jacques De Molay, homenageando e perpetuando seu nome e fundamentando ainda mais as ações da Ordem Demolay de Iturama.

O vereador Carlito parabenizando o vereador autor do projeto, Paulinho Dias, proferiu uma forte dissertação sobre o Salmo 132, um salmo escolhido pelos maçons para abrir a Loja Simbólica dos Aprendizes e que simboliza a união fraterna, numa alusão à Ordem Demolay local para que exerçam essa fraternidade. (O projeto foi aprovado por unanimidade).

 

Honra ao Mérito

Cap. João Carlos

Para agradecer as homenagens recebidas pela Câmara Municipal, os militares 2º Ten. PM Fernando Augusto Quatroque, Comandante do 4º Batalhão da Polícia Rodoviária e Cap. PM João Carlos, representando a 3ª Cia. Ind. de Polícia Militar, sediados em Iturama, homenagens essas, pelos bons trabalhos prestados na moralização do trânsito e prevenção de acidentes e combate às drogas e ao seu tráfego, contrabandos e combate ao crime organizado.

Da a Tribuna Livre o 2º Ten. PM Fernando Augusto Quatroque, externou agradecimentos e com emoção discorreu sobre os serviços prestados, com objetivos diretos para reduzir os acidentes e violências no trânsito, como fiscalização, condutas de risco dos condutores como embriaguez ao volante, excesso de velocidade, ultrapassagens indevidas, não uso do cinto de segurança, uso de celular ao volante, transporte inadequado de crianças, falta de capacete (motociclistas), como também palestras em escolas sobre trânsito e como proceder.

Ten. Quatroque

E ainda, conforme relatório feito, apontou que em 3 anos consecutivos, as ações desenvolvidas fizeram com que os acidentes com vítimas e óbitos tivessem uma estatística menor. . Fez menção dos “Anjos da Guarda das Estradas de Minas”, – os policiais graduados ou não que diuturnamente percorrem as estradas dos municípios de Iturama, Carneirinho, União de Minas Limeira do Oeste e Campina Verde, no afã de prevenir, orientar, e quando for o caso, apreender, prender e encaminhar os infratores para providencias legais, citando várias apreensões de altas quantidade de drogas, motoristas sem habilitação e recuperação de veículos roubados.

Em seguida foi o Cap. PM João Carlos, representando a 3ª Cia. Ind. de Polícia Militar, que iniciou sua fala cumprimentando e parabenizando os mentores e integrantes da Ordem Demolay e teceu generosos agradecimentos aos componentes da Câmara Municipal, pela honraria consignada à 3ª Cia. Ind. de Polícia Militar, que honrosamente ali representava.

Relatou as ações da PM no município de Iturama e nos demais municípios de sua jurisdição com objetivos de dar aumento à vigilância, segurança pública, manutenção da ordem, combate à marginalidade, a criminalidade e roubos como foi o caso do atentado a um dos estabelecimentos bancários da cidade, recentemente ocorrido e efetivamente impedido.

Entre mais fatos e relatos, Cap. João Carlos, agradeceu o empenho da Câmara Municipal em prestar apoio logístico ou outros, à 3ª Cia. Ind.

Encerrou com agradecimentos especiais ao vereador Paulinho Dias, pela deferência com que trata a Polícia Militar, distinguindo-a com o título de Honra ao Mérito.

 

Denúncia e apelo aos vereadores

Antônio Dias

Diz a Constituição Federal do Brasil, editada em 1988, em seu Art. 6º que “São direitos sociais a educação, saúde, (o negrito é nosso), o trabalho, o lazer…..”. Também em seu art. 196, em que a Constituição reconhece a saúde como direito de todos e ainda no Art. 30, inciso VII, a obrigação do município em cooperação técnica e financeira com a União e do Estado, prestar serviços de atendimento à saúde da população.

E como isso é assegurado a população que paga caros impostos à União, Estados e Municípios? A quem recorrer quando não são realizados?

Abordando esses quesitos, o empresário ituramense, Antonio Dias, com indignação se apresentou na Câmara Municipal e fez um desabafo e apelo aos vereadores, discorrendo sobre um acidente com seu neto de 5 anos e que precisando do Pronto Socorro não teve o atendimento necessário – uma cirurgia!

Relatou que seu neto, brincando como qualquer criança, teve uma queda e ocasionou uma fratura no braço, na altura do punho. Imediatamente levado por ele, ao Pronto Socorro, foi feito o exame que constatou a fratura, mas que para a cirurgia necessária, a criança teria que ser encaminhada para a cidade de Uberaba ou Frutal e para isso esperar por uma vaga porque em Iturama, não havia um médico ortopedista para o atendimento, e que no 2º dia procurou novamente o Pronto Socorro e a informação foi a mesma: “teria que esperar por uma vaga porque em Iturama não tinha o médico para o procedimento.

Perguntado o porque dessa falta, foi informado de que seria “por falta de pagamento”, o que revoltou Antonio Dias, que resolveu levar o garoto, já com o braço inchado, para São José do Rio Preto, onde foi prontamente atendido e submetido ao procedimento cirúrgico.

Finalizando seu desabafo e sua indignação, Antonio Dias, apelando para que os vereadores cuidassem de uma solução para evitar mais casos dessa e outros, frisou que sempre conheceu “o hospital como Hospital do Povo e que seja mesmo um Hospital do Povo!”

Ante o exposto, os vereadores Ricardo Baiano, Carlito e Ana Lúcia, revoltados e exaltados citaram diversos fatos acontecidos inclusive o de óbitos, possivelmente em decorrência dessa lacuna no quadro médico do Pronto Socorro e foi citado um caso de que um médico após atender uma fratura no pé de uma senhora, recusou-se a operá-la “com medo de não receber” e que quando se é atendido, não são encontrados na farmácia da prefeitura os remédios receitados.

Segundo os vereadores, não há justificativa a alegação de falta de dinheiro e que o governador do Estado não “faz os repasses”, uma vez que conforme apresentação de documentos oficiais pelo Portal da Transparência da própria prefeitura e do Banco do Brasil, a prefeitura arrecadou em seus cofres no ano de 2017 a importância de R$ ll4.406.000,00; no ano de 2018, foi de R$ 120.555.000,00 e em 2019 até ao dia 21 de janeiro, arrecadou R$ 12.825.000,00.

E a pergunta formulada foi: “Onde está esse dinheiro?”

Após se dirigirem, os três vereadores, ao Presidente da Câmara Renato Reis, e conclamando os demais vereadores a acompanhá-los na exigência de uma solução, o presidente determinou fosse oficiado ao Secretário de Administração, para fazer uma prestação de contas desses valores; determinou que a Comissão Permanente de Saúde, abrisse uma investigação sobre os fatos ocorridos (de Antonio Dias e demais casos) e convocação da Secretária de Saúde para esclarecer sobre esses mesmos fatos e o porque da falta de atendimento médico.

Comente essa notícia

Utilize o seu facebook, para comentar